Mistura de Soluções

11/11/2010 02:53

 Assim como visto em diluição das soluções, a misturas de soluções está bastante presente no nosso cotidiano. Misturamos café com leite no café da manhã; misturamos suco de limão com cachaça para fazemos uma caipirinha. É também comum num laboratório ocorrer misturas (mais até que diluições). As misturas podem ser feitas com soluções de mesmo ou de diferentes solutos (nesse último caso, poderá ocorrer reação ou não entre os solutos). São exatamente esses casos que veremos. Em todos os casos consideremos que o solvente é o mesmo.

→ Misturas de soluções de mesmo soluto

  • quando misturamos soluções de mesmo soluto, obtemos uma nova solução de concentração intermediária às das soluções misturadas. Nesse caso, a massa total de soluto da solução final será a soma das massas dos solutos das soluções iniciais. Da mesma forma, o volume final será a soma dos volumes das soluções iniciais. Consequentemente temos:

   C = C’V’ + C”V”

            V’ + V”

→ Misturas de soluções de solutos diferentes

  • Esse é um tipo de mistura bastante complicada. Se os solutos não reagem, não podemos somar as quantidades de matéria. Devemos nesse caso considerar cada soluto separadamente na solução. Essa mistura é comum quando misturamos base com base, ácido com ácido.

Já se houver reação química, e não uma simples mistura, os problemas serão resolvidos com a ajuda da estequiometria. Porém, pode ocorrer duas situações:

1ª: os dois solutos estão em quantidades exatas para reagir (proporções estequiométricas). Reagem totalmente;

2ª: os dois solutos estão em quantidades diferentes para reagir. Nesse caso, haverá sobra de um deles.

Essas misturas são comuns de ácidos com bases, sais e ácidos, bases e sais.

 

Mistura de soluções no vestibular

(UEL – PR) Misturam-se 200 ml de solução de hidróxido de potássio de concentração 5,0g/L com 300 ml de solução de mesma base com concentração 4,0g/L. A concentração final em g/L é:

a) 0,5

b) 1,1

c) 2,2

d) 3,3

e) 4,4

 

GABARITO: LETRA “E”

C = C’V’ + C”V”  = 0,2.5,0 + 0,3.4  = 2,2  = 4,4

       V’ + V”             0,2 + 0,3           0,5

 

(UFRJ) Misturando-se 100 ml de solução aquosa 0,1 molar de KCl, com 100 ml de solução aquosa 0,1 molar de MgCl2, as concentrações dos íons K+, Mg2+ e Cl- na solução resultante serão, respectivamente:

a) 0,05 M, 0,05 M e 0,1 M

b) 0,04 M, 0,04 M e 0,12 M

c) 0,05 M, 0,05 M e 0,2 M

d) 0,1 M, 0,15 M e 0,2 M

e) 0,05 M, 0,05M e 0,15M

 

GABARITO: LETRA “E”

Como não haverá reação, pois esses sais não reagem, devemos calcular as concentrações em separado. Repare que V” é igual a 0,2 (0,1 de KCl + 0,1 de MgCl2) Dessa forma temos:

KCl:

C’V’ = C”V” => 0,1.0,1 = C”0,2 => C” = 0,05 mol/L de KCl

KCl ↔ K+ + Cl-

0,05  0,05  0,05

 

MgCl2:

C’V’ = C”V” => 0,1.0,1 = C”0,2 => C” = 0,05 mol/L de MgCl2

MgCl2 ↔ Mg2+ + 2Cl-

0,05      0,05     0,1

Vemos que a concentração de Cl- será 0,05 + 0,1 = 0,15

 

(UFMG) Juntam-se 300 ml de HCl 0,4 M e 200 ml de NaOH 0,8 M. Quais serão as concentrações finais do:

a) ácido;                                      b) base;                                c) do sal formado

Esse item requer cuidados. Portanto dividiremos a resolução em etapas

I – Calculamos as quantidades, em mols, doa solutos iniciais

HCl: n = ɱ.V = 0,4.0,3 = 0,12 mol

NaOH: n = ɱ.V = 0,8.0,2 = 0,16 mol

II – Escrevemos a reação e verificamos se há excesso ou não de um dos reagentes

                                HCl + NaOH → NaCl + H2O

Início                       0,12    0,16            0          0

Reagem                   0,12    0,12           0,12   0,12

Resto                        0       0,04           0,12   0,12

III – Após a análise da reação, calculamos a concentrações pedidas. Lembre-se: o volume agora é a soma dos volumes do ácido com a base, ou seja, 0,3+ 0,2 = 0,5L

a)HCl: zero

b) NaOH: M = n  = 0,04 = 0,08 mol/L

                     V     0,5

c) NaCl: M = n  = 0,12 = 0,24 mol/L

                  V       0,5

 

(UFRN) 150 ml de ácido clorídrico (HCl) de molaridade desconhecida são misturados a 350 ml do mesmo ácido a 2 M, dando uma solução de 2,9 M. Qual a molaridade do ácido inicial?

a) 3,0

b) 4,0

c) 5,0

d) 2,37

 

GABARITO: LETRA “C”

C = C’V’ + C”V” => 2,9 = C’.150 + 2.350 => C’ = 5 mol/L

  V’ + V”                       150 + 350